sábado, 25 de maio de 2013

Moçambique (7) - Fim de semana na Suazilândia 1

O fim de semana de 23 e 24 de Março, foi passado no pequeno Reino da Suazilândia (é uma monarquia), país da África Austral cercado pela África do Sul em quase toda a sua extensão e a leste por Moçambique. A sua área total cifra-se em 17.364 Km2 e tem como capital a cidade de Mbabane.

Reino da Suazilândia (espaço amarelo indicado pela seta)
 A sua população ronda os 1.130.000 habitantes, sendo que, infelizmente, 1/3 dos adultos é portador do vírus HIV. As línguas oficiais são o inglês e o suázi.
A moeda é o lilangeni suazi que vale o mesmo que o rand sul-africano.
 
Atravessámos a fronteira de Goba, mais distante de Maputo do que a da Namacha, atento o facto de o acesso a esta última estar, na altura, afectada pela destruição de uma ponte com as cheias que se haviam registado algum tempo antes.
Já na Suazilândia, tivemos a oportunidade de confirmar que o país vive basicamente da agro-pecuária. Na realidade, em qualquer curva da estrada poderia aparecer uma manada de pachorrentas vaquinhas ou até poderia uma qualquer resolver atravessar de um lado para o outro, a correr, à frente dos veículos em circulação no local.
As vaquinhas suazi
Em Steki, primeira localidade após a passagem da fronteira e onde nos abastecemos de combustível, foi-nos dado constatar a existência de um «Bem Vindo Talho» e de verificar que o posto de abastecimento de combustíveis ostentava a marca «Galp». Aliás, era esta marca portuguesa a dominante nas bombas de gasolina por onde passámos.
 Steki - «Bem vindo talho»  
Steki - Posto de abastecimento «Galp»
Seguimos, com passagem em Manzini,
Manzini
em direcção a um espaço arborizado e diversas construções, situado na região de Malkerns Valley, onde se encontram artesãos a trabalhar a madeira, muitas bancas de venda de artesanato e uma fábrica de velas de cera. Como também aí está instalado um restaurante, foi lá que almoçámos. Mas sobre esta parte da visita, falarei no próximo post.

8 comentários:

Graça Sampaio disse...

Isto e que é a verdadeira literatura de viagens...

Muito giro!

Anónimo disse...

Então e as praias!?

SilvaRocha disse...

Ainda bem que há alguém que gosta...
Tenho andado preguiçoso e acabo por me atrasar nesta coisa...
Obrigado pela tua apreciação, Gracinha

SilvaRocha disse...

Quanto às praias, acho que convirá aguardar a melhoria do tempo, Toninho. Mas já falta pouco.

Arnaldo disse...

Também por aí me perdi, embora a actualidade nada tenha que ver com os anos 60.
Bela descrição. Parabéns.
Desejo-te a continuação de uma boa viagem, até ao próximo relato das tuas aventuras por essas paragens.

fernanda s. monteiro disse...

Estou a gostar da viagem! Mas porque suspendeu na hora do almoço ? Gostava de saber da comida ...

SilvaRocha disse...

Cara Amiga Fernanda
O almoço não foi nada de especial, por isso mesmo não especifiquei o que comemos. Foi à base de uns hamburgers. Uma coisa frugal...

SilvaRocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.