terça-feira, 7 de junho de 2011

Ainda o 1º Encontro de Diários Gráficos em Leiria


No dia 18 de Maio, anunciou-se aqui a realização do 1º Encontro de Diários Gráficos em Leiria. Inscrevemo-nos para participar em tal iniciativa, crentes de que algo de extraordinário iria acontecer na cidade e que não poderíamos perder essa oportunidade.
No final, concluímos que o resultado foi além das expectativas. À Junta de Freguesia de Leiria queremos manifestar o nosso agradecimento por, conjuntamente com o Urban Sketchers Portugal, ter patrocinado este evento, cuja mentora foi, em boa hora, a leiriense (exímia desenhadora e autora do desenho acima) Elizabete Santos.

Na mesa redonda de sexta-feira, dia 3, intervieram Eduardo Salavisa, Pedro Cabral, Mário Linhares e Mónica Cid todos eles ligados ao blog Urban Sketchers Portugal, dedicados à causa dos diários gráficos e que, com os desenhos dos seus cadernos, muito a dignificam.
Cada um dos intervenientes teve a oportunidade de falar sobre as suas experiências pessoais como utilizador dos cadernos onde diariamente vão registando, através do desenho, o que os seus olhos vão vendo. Desde logo ficou claro para os presentes que os inseparáveis caderninhos se revelam de primordial importância quando o seu proprietário se desloca em viagem.

No sábado, juntaram-se ao grupo outros fervorosos utilizadores dos cadernos que, dispersando-se pela cidade, colheram da mesma, de forma singular, através dos seus riscos e finas aguareladas, os recantos e as pessoas que mais os inspiraram. Vieram, de vários pontos do País, com o firme propósito de participar no encontro e assim dar largas ao enorme prazer que sentem em desenhar. Não está em causa, nestes encontros, qualquer competição ou avaliação entre os participantes, procurando cada um, tão-somente, desenhar o que gosta e partilhar com os outros o prazer daquilo que faz.
Gostaria de relevar, entretanto, o espírito franco e aberto e digamos até, a humildade, revelados pelos brilhantes desenhadores aqui presentes que, de forma perfeitamente despreocupada, a todos facultaram os seus desenhos, sem qualquer reserva, permitindo inclusivamente que fossem fotografados.

Os links deste texto poderão ser o ponto de partida para uma viagem ao mundo dos diários gráficos e, quem sabe, o incentivo para aqueles que, dotados do jeitinho especial que estas coisas requerem, não tinham ainda descoberto como dar asas à sua imaginação, aproveitando o seu gosto e sensibilidade.
Tentaremos voltar, muito em breve, a este tema dos diários gráficos e em especial ao que aconteceu em Leiria, uma vez que, muito há ainda por contar.

1 comentário:

carol disse...

Quem me dera saber desenhar...