sexta-feira, 12 de março de 2010

COREPINCELADAS visita Artur Franco


O contacto com os mestres é sempre uma forma de enriquecer os nossos conhecimentos.

No nosso caso em particular, na qualidade de amadores, quando apreciamos no atelier a técnica e o engenho do artista na execução dos seus trabalhos, tudo se nos afigura aparentemente mais fácil.

Foi com muita curiosidade e atenção que seguimos a interessante análise das coisas simples da pintura e a referência aos detalhes, que o Artur Franco teve a amabilidade de nos expor.

Depois da visita, ficámos com vontade de deixar por momentos a tela e os óleos e, pegando nas aguarelas, experimentar mas, de um facto estamos cientes, é que o talento nasce com os artistas.


Os nossos agradecimentos a este grande mestre leiriense, pela oportunidade que nos proporcionou.

5 comentários:

Artur disse...

Arnaldo, foi bonito a vossa visita ao meu atelier, é sempre enriquecedor, pois necessito de convívio e de palavras incitadoras para o cabal desenvolvimento da obra, apareçam sempre, as côres vão aparecendo, é só misturar as tintas na "alma", e, depois deixar correr, como qualquer riacho serpenteando por qualquer pedra ou limo...

Rui Pascoal disse...

Arnaldo, deixa de ser modesto, há muito que te considero um Mestre!

rotivsaile disse...

Arnaldo:
Pelo que tenho visto e lido, o comentário de Rui Pascoal é pertinente, pois estás com uma obra já ao nível de alguns mestres... se bem que Mestre já o eras, basta teres leccionado, mesmo que não fosse pintura.
Quem te "fala" é um teu antigo colega da Escola de Stº. Estevão! Fomos alunos do Professor Francisco Baptista Guimarães e fomos vizinhos, porque moravas nas escadinhas onde era a casa dos Patrícios, que dava para a Rua Direita e eu morava nas casas do Carlos Silva, na Damião de Góis, frente à casa da Rosa Maria Brás Medeiros, que também fez o Magistério.
Sou o Victor Elias... não sei se te recordas... irmão da Fernanda (Cabeleireira junto à Sé).
Diz qualquer coisa para o meu mail
victormafelias@gmail.com.
Um abraço do sempre Amigo
Victor Manuel Elias

Anónimo disse...

AS CÔRES E AS PINCELADAS DE ARTUR
FRANCO SÃO ALGO DE EXCEPCIONAL;
POIS A OBRA NAS SUAS MÃOS VAI-SE
DELINEANDO A POUCO E POUCO É SÓ
MISTURAR AS TINTAS NO PENSAMEN-
TO E NA ALMA E DEIXAR CORRER.O
RESTO SAI DA MÃO DE UM MESTRE.

ANTÓNIO MESTRE

Anónimo disse...

SUBTILEZA E LEVEZA DE TRAÇO,TE-
MAS BEM ESCOLHIDOS E BELAS TONA-
LIDADES CROMÁTICAS.AS SUAS PIN-
CELADAS SÃO ALGO DE EXCEPCIONAL.
AS CÔRES MISTURAM-SE NA PALETA.
NO PENSAMENTO E NA ALMA E A OBRA
A POUCO E POUCO VAI NASCENDO.
ANTÓNIO VINHA
(ARTISTA PLÁSTICO)